Imagem
Diabetes

É uma doença relacionada à diminuição ou ausência de insulina produzida pelas células beta do pâncreas. A sua instalação é insidiosa e se faz necessário uma destruição de em torno de 90% destas células para que a doença seja, efetivamente, instalada e diagnosticada. Porém, existe um estágio intermediário, silencioso, que consiste na incapacidade parcial da insulina de transportar a glicose para dentro das células musculares, a qual damos o nome de intolerância à glicose. Facilmente detectado pelos exames de teste de tolerância a glicose ou teste de dosagem de glicose pós-prandial, além disso, a dosagem de hemoglobina glicada nos informa o grau de descompensação na captação e no carreamento da glicose para dentro da célula e dá, ao medico assistente, informações preciosas sobre o controle, efetividade das medicações introduzidas no tratamento e na adesão ao tratamento estipulado, como também na conscientização da importância da dieta e da atividade física, indispensável para o controle glicêmico. 

Existem dois tipos de diabetes:

  • O tipo 1 - É aquela observada em crianças e adolescentes, sendo sempre dependente do uso de insulina, por se tratar de defeito na fabricação de insulina pelas células beta do pâncreas, ocasionada por uma doença autoimune. corresponde a aproximadamente 10% do total dos diabéticos.
  • O tipo 2 - É aquela observada em adultos, com íntima ligação com a obesidade, principalmente a obesidade central (gordura especialmente concentrada na região abdominal), naqueles indivíduos que não tem o costume de realizar atividade física e não faz uma dieta pobre em carboidratos de absorção rápida, encontrada nos açúcares, massas, uso de bebidas alcoólicas, principalmente. É a diabetes mais prevalente, aproximadamente 90% dos casos. 

Processos inflamatórios crônicos do pâncreas, assim como o uso exagerado de álcool, processos virais, metabólicas e alimentação deficiente, pobre em frutas, verduras e leguminosas, podem causar o aparecimento desta doença. O processo de instalação da doença é lento e progressivo, demorando anos e até décadas para se manifestar clinicamente.

O potencial de destruição desta doença, tão negligenciada pelas pessoas, é devastador. Não diferenciando muito, em seus efeitos, das doenças degenerativas, como o câncer por exemplo (não é câncer, mas é tão destruidora e mortal, que podemos traçar um paralelo entre ambas), por causar devastadora destruição  nos tecidos nobres, como coração, rins, cérebro e também em todos os vasos do corpo humano, como a circulação dos membros inferiores, levando muitas vezes a amputação das pernas; e nos olhos (obstrução da artéria da retina) causando cegueira, etc. seus efeitos deletérios, são quase sempre irreversíveis (não há cura das lesões ocasionadas pela diabetes), tendo o paciente que conviver para o resto da vida com as limitações impostas por essa doença extremamente agressiva.

A profilaxia (prevenção) é o verdadeiro caminho para evitar a doença e suas consequências, introduzindo no estilo de vida das pessoas, hábitos de alimentação saudável acompanhada de atividade física regular.



Para refletir:

"Porque o que é chamado pelo senhor, sendo servo, é liberto do Senhor; e o da mesma maneira também o que é chamado sendo livre, servo é de Cristo; Fostes comprado por bom preço; não vos façais servos dos homens." 1 Co 7: 22 e 23